Amor a distância

Recebemos cada história linda, fofa que a cada vez que leio me apaixono pelo amor desses casais.

Um amor a distância e que nada separa. A Uila conheceu Anton, e esse amor nasceu para ficar eterno. Uila mora atualmente na Alemanha, mais sua vida, já foi marcada em diversos países. Hoje ela veio contar como o amor dela não tem fronteiras. =)

“Olá meninas. Meu nome é Uila, tenho 24 anos e sou de Manaus.
Eu conheci o Anton on-line (no Skype) quando eu tinha 20 anos e ele 22, nos conhecemos dia 26 de outubro de 2008 (o histórico do Skype que nos deu essa informação depois, que nenhum dos dois lembrava, claro.) . Eu morava no Brasil e ele na Alemanha.Eu estava com passagem marcada pra Suíça em dezembro e resolvemos que iríamos nos conhecer pessoalmente quando eu estivesse lá.Dia 27 de dezembro de 2008 nos conhecemos pessoalmente, depois de conversarmos dois meses on-line. Nós começamos a ficar no dia em que nos conhecemos, com 5 dias ele disse: “I am in love with you” e eu respondi “I am in love with you too”. Nos declaramos apaixonados em 5 dias! Loucura? Premonição que era pra ser mesmo e dizer com 5 dias ou 5 meses não faria diferença? Não sei.Todo final de semana nós nos víamos, fosse ele indo pra Suíça me ver ou eu indo pra Alemanha. Dia 26 de janeiro de 2009, um dia antes de completarmos um mes ficando (mas, como sabemos graças ao Skype, exatos 3 meses de que nos conhecemos on-line), começamos a namorar.Essa decisão de namorarmos era bem mais complicada e séria que o seu típico começo de namoro. Afinal de contas, em poucas semanas eu estava voltando pro Brasil e ele ficaria na Alemanha. Ele, nascido no Kazaquistao, era neto de alemães e se mudou com a mãe pra Alemanha quando ele era criança ainda. Tanto ele quanto a mãe perderam a cidadania Kazaque pra receber a cidadania alemã. Eu, bisneta de alemães nasci e fui criada em Manaus – Amazonas, saindo de lá só pra viajar. Tinha morado os 20 anos da minha vida na mesma casa (onde minha mãe, avó e irmão moram até hoje). Isso tinha chance de dar certo?
 
Quando eu tinha 15 anos eu pedi pra aprender alemão. Minha mãe me disse não  que era uma língua que eu nunca precisaria na minha vida. Waste of time, really. De vez em quando eu a lembro disso hoje em dia. Como eu não falava alemão, nos comunicávamos em inglês. Dia 11 de fevereiro de 2009 (sim, sou boa com datas) eu voltei pro Brasil. Eu e Anton passamos 5 meses separados e dia 6 de julho de de 2009 eu cheguei visita-lo na Alemanha por um mês. Ele me levou por um final de semana pra Paris e Eurodisney de surpresa pra comemorarmos nossos 6 meses de namoro. Tivemos um mês maravilhoso e eu retornei pro Brasil dia 5 de agosto de 2009.Em outubro já estava decidido que eu me mudaria pra Alemanha e que iríamos morar juntos. Comecei os preparativos pra me mudar de país. Dia 31 de janeiro de 2010 eu cheguei na Alemanha, pra morar com meu namorado. Eu tinha 21 anos e ele 23.Foi muito estressante no começo, sairmos de um relacionamento onde nos víamos somente on-line, mesmo que todo dia direto pra parte do relacionamento onde fomos morar juntos. Os dois estavam acostumados com as mães por perto ajudando com as coisas (ele saiu da casa da mãe pra ir morar comigo) e acabamos terminando. Ficamos terminados por 5 meses. Desse tempo uns dois meses eu ainda morava com ele, até conseguir um apartamento pra alugar só pra mim. Durante o tempo em que morei com ele e mesmo depois que me mudei pro meu apartamento, continuávamos ficando frequentemente. Depois de dois meses e meio que eu tinha saído do nosso apartamento pra ir morar só, nós voltamos a namorar e nunca mais terminamos. Pra falar a verdade eu mal considero isso um termino, pois nunca deixamos de nos amar ou de nos ver. Mas conto de qualquer maneira pois isso é a vida real e não um filme de cinema, não quero fantasiar as coisas.
 
Quando voltamos, mesmo eu tendo meu flat, eu não dormia mais lá. O flat virou um depósito das minhas coisas e roupas e eu só passava as manhas e tardes lá pra brincar e alimentar o meu furão Bandit. E limpar também. heheFinal de janeiro de 2011 eu tive que voltar pro Brasil, pois não consegui renovar meu visto. Me falaram que eu teria que passar 3 meses no Brasil para poder retornar a Alemanha. Então foi isso que eu fiz. Passei fevereiro março e abril de 2011 em Manaus. O Anton foi me visitar por duas semanas em março, foi a primeira vez que ele foi no Brasil. Ele amou a comida de Manaus, principalmente os peixes (os melhores do mundo! tambaqui, pirarucu e vários outros… hmmm uma delicia!).Final de abril eu estava de volta a Alemanha. Passei os três meses do visto de turista mais um mês que eles me deram aqui (totalizando 4 meses de uma vez) e, de novo, não consegui renovar meu visto. Eu chorei, o Anton chorou. Eu disse que tinha tido o suficiente de ir e voltar, que não sabia se aguentaria ir pro Brasil por mais 3 meses só pra voltar pra Alemanha e ser negada DE NOVO! Ele disse que não queria viver sem mim e que nós iríamos nos casar, se eu quisesse, claro. Em meio de lagrimas e sorrisos resolvemos que íamos nos casar quando eu voltasse pra Alemanha depois de passar mais 3 meses no Brasil.Final de agosto eu fui pra Manaus, de novo. Passei 3 meses lá e o Anton foi pro Brasil pela segunda vez me visitar. Ele foi em outubro, pro meu aniversário. Passou duas semanas de novo, mas dessa vez também fomos pro Rio de Janeiro por alguns dias. Ele voltou pra Alemanha em outubro mesmo. Em dezembro foi a minha vez.Enquanto eu estava no Brasil, eu fiz todos os papeis pra podermos casar aqui. Mas como os papeis só eram válidos por 90 dias e teriamos que casar nesse período de tempo, não poderiamos planejar uma festa, teria que ser um casamento só no cartório.
 
Já que decidimos nos casar entre choros e abraços depois de finalmente nos darmos conta que a situação do meu visto mais cedo ou mais tarde nos separaria se nao cassássemos. Iriamos casar eventualmente de qualquer maneira algum dia, so aconteceu antes. Enfim, meu marido me chamou dia 2 de janeiro, exatamente um mes antes de casarmos e tocou a musica “Marry you” do Bruno Mars no piano pra mim, super nervoso. depois, ele me pediu pra olhar pela janela, e isso é o que eu vi:
 
 
Nos casamos na Dinamarca, pois apesar do Anton ser cidadão alemão ele não nasceu aqui e teria que ir pro kazaquistao renovar a certidao de nascimento dele! Na Dinamarca eles não exigiam a certidao de nascimento atualizada, contanto que tivesse a original traduzida e todos os outros papeis estivessem em ordem. Nosso prazo tava correndo nos 90 dias. Foi assim que nos casamos no cartório na Dinamarca, mas em alemão. A juiza de paz realizava a cerimonia em alemão. Somos um casal definitivamente internacional! Suiça, Brasil, Kazaquistao, Alemanha, Dinamarca… Nos casamos dia 02/02/2012, quando eu tinha 23 anos e ele tinha 25 anos. Eu e meu marido fizemos um ano e seis meses de casados ontem. Nós nos amamos demais. Cada dia mais, se é que isso é possível!Temos dois gatos ragdolls que são nossos amores. Somos felizes. Mas ainda queremos (eu principalmente) nos casar na igreja, já que o limite de tempo quando nos casamos no cartório não permitiu que fizessemos festa ou que tivessemos ninguém perto, já que foi na Dinamarca e só soubemos a data com certeza uma semana antes. Eu queria que nos casassemos dia 26 de janeiro de 2012, quando fizemos 3 anos de namoro. Mas eu amo a data do meu casamento 02/02. Fácil de lembrar e bem simbólica, na minha opinião.
 
Nós não pretendemos morar no brasil, nossa vida é aqui na Alemanha. Mesmo se não der pro meu marido, eu vou ao menos uma vez ao ano visitar minha família. Ele foi agora em 2013 comigo, comemoramos um ano de casados lá e voltamos no Valentine’s day pra cá.Desculpem pela história enormeee, e se voces leram tudo, parabéns e obrigada!”
76023_1748331031273_4142305_n
75115_1747862979572_2514605_n
482622_10200908998510412_1856610585_n (1)
64849_10201743912702745_398444557_n


 Que história emocionante… Ai (chorei) rss…

Uila, felicidades para vocês, que esse amor cresça a cada dia mais!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *